História de Budapeste

História de Budapeste

A história de Budapeste é a história de três cidades: Obuda, “antiga Buda”, Buda, a cidade alta situada na margem esquerda do Danúbio, e Peste, a cidade baixa na margem direita do rio.

A origem

A cidade mais antiga é Obuda, ocupada pelas tribos celtas até a conquista dos romanos, no século I a.C.

Obuda, que foi chamada pelos romanos de “Aquincum”, foi fundada em 89 sobre um antigo assentamento celta. Durante quatro séculos, foi a capital da região romana de Panônia. Aquincum vem da palavra “aqua” (com água), em homenagem aos diversos mananciais termais que proporcionam tanta fama a Budapeste.

Buda nasce como colônia romana e sua fundação se estabelece no ano 14 a.C.

Budapeste na Idade Média

Em 896 d.C., a união de sete tribos magiares derrotou os romanos, colonizando a região e instalando-se em Aquincum, que passou a ser chamada de Obuda no século XIII. Os dominadores edificaram duas cidades novas separadas pelo rio, Buda e Peste.

A nação da Hungria nasceu no ano 1000, com a coroação do seu primeiro rei, Estevão I, e em 1222 se outorgou a primeira Carta Magna da nação.

Os mongóis invadiram e destruíram a cidade em 1241 e o rei Bela IV ordenou sua reconstrução, dando lugar à nova Buda, substituindo a antiga Obuda.

Buda se tornou a capital do país em 1361, marcando o início de uma época de florescente desenvolvimento que chegou ao seu ápice no século XV, com o grande imperador Mathias Corvino.

Em 1526, Peste caiu sob o poder dos turcos e, pouco depois, em 1541, aconteceu o mesmo com Buda, que se tornou a capital turca, enquanto Peste ficou desabitada. Os turcos mantiveram o poder até 1686, ano em que foram derrotados pelos de Habsburgo e Budapeste passou a formar parte dos domínios austríacos.

A época dos Habsburgo foi muito florescente para a cidade e durante a mesma foram construídas diversas igrejas e edifícios públicos. Em 1784, José II estabeleceu uma universidade em Budapeste e em 1849 foi inaugurada a primeira ponte permanente sobre o Danúbio, a famosa Ponte das Correntes.

Na época das revoluções que convulsionaram a Europa, em 1848, os húngaros se levantaram contra os austríacos, sendo sufocados e restabelecendo-se a autoridade dos Habsburgo.

Em 1867, foi constituído o império Austro-húngaro, tendo início uma época dourada para a capital e a nação. A indústria se concentrou em Peste, que se tornaria a parte mais povoada da cidade.

A unificação de Obuda, Buda e Peste

Em 1873, se uniram definitivamente Obuda, Buda e Peste sob o nome de Budapeste, e a cidade chegou a ser a segunda em importância do Império Austro-húngaro, atrás de Viena.

Depois da Primeira Guerra Mundial, o Tratado de Saint-Germain-en-Laye, pelo qual a Áustria renunciou aos direitos da monarquia austro-húngara, separou a Hungria da Áustria e se constituiu o Estado Húngaro Independente.

Depois da assinatura do Tratado de Trianon em 1920, acordo que os aliados impuseram à Hungria depois da queda de Bela Kum, a Hungria perdeu a Eslováquia, Rutênia, Transilvânia, Croácia, Burgenland, no total, mais de dois terços do seu território e Budapeste se tornou uma capital exagerada para um estado tão pequeno.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Budapeste sofreu grandes bombardeios aéreos dos aliados que destruíram parcialmente a cidade. Ao fim da guerra, caiu sob o poder soviético.

Em outubro de 1956, a cidade se levantou contra o governo e a influência soviética, colocando um fim na intervenção das tropas soviéticas.

Com a queda da União Soviética em 1989, a Hungria abandonou o comunismo e recuperou sua liberdade, nascendo assim a República Húngara.

Em 2004, a Hungria passou a fazer parte da União Europeia.